SETORES OAB/RO

8

fev 2019

50 Visualizações Judiciário
Brigadistas do TJRO testam simulação de segurança, com a participação do presidente

Walter Waltenberg desce de rapel do topo do edifício-sede para dar exemplo aos servidores

Em meio a uma prévia para um futuro treinamento em situação de resgate que ocorrerá ainda este mês de fevereiro, o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) desceu de rapel, na manhã desta quinta-feira, 7, do topo edifício-sede. A iniciativa partiu do próprio presidente, que teve acompanhamento de integrantes da Brigada de Emergência do TJRO e do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia.

De todo o histórico de treinamentos dos quais o TJRO já realizou, o desembargador Walter Waltenberg foi o primeiro a aceitar o desafio, dando exemplo aos servidores, os quais em breve deverão participar dessa atividade.

“Nós temos uma enorme preocupação com a segurança de nossos servidores. E se é preciso acreditar nas cordas que os bombeiros trazem, penso que ninguém melhor do que o presidente faz isso. Isso demonstra que qualquer pessoa pode ter a confiança de descer com total segurança”, disse ele.

E, ainda, num tom de bom humor, ele considerou o desafio tranquilo e já espera pelo novo, que ocorrerá em breve. “É uma pena que o prédio não seja tão alto. Agora vamos aguardar o edifício do Fórum Geral ficar pronto para a gente descer de uma altura ainda maior”, disse, meio ofegante, logo após ter concluído a tarefa de pura adrenalina.

O capitão Andrade, que coordena os trabalhos da Brigada de Emergência no TJRO, destacou a importância da participação do presidente. “O circuito desse simulado que foi testado com a participação exclusiva do presidente nos faz lembrar uma frase muito utilizada no meio militar: ‘a palavra convence; o exemplo arrasta’. Com essa atitude, ele estimula os servidores a terem confiança e verificarem ser possível sair de uma edificação mesmo em circunstâncias adversas”, revelou o militar.

O treinamento foi acompanhado por uma pequena plateia formada por servidores e curiosos transeuntes que estavam nas proximidades.

FONTE: Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJRO)